Saiba como a pandemia do COVID-19 vai impactar o dropshipping.

Gestão de negócios durante a crise do coronavírus: 7 dicas para empreendedores

O rápido avanço da pandemia do coronavírus pelo mundo virou de ponta-cabeça a vida profissional e a rotina muita gente.

Não há dúvidas de que estamos enfrentando tempos estranhos. Para além da preocupação com a nossa saúde e a saúde dos nossos familiares e colegas, os empreendedores do e-commerce no Brasil precisam lidar também com um novo desafio: como empreender em tempos de crise? Ou melhor, como manter uma loja de portas abertas durante esse momento?

Bom, é aqui que o nosso time do Oberlo entra na história. Estamos preparando alguns conteúdos e recursos pensados exclusivamente para lojistas e empreendedores que estão encarando a gestão de negócios em meio à crise do coronavírus.

Embora tenhamos atualizado um nos nossos posts, que falava sobre as consequências e riscos do coronavírus para o dropshipping, decidimos que também era necessário mostrar o que pode ser feito dentro da área de gestão de negócios. Será que dá mesmo para otimizar a loja virtual e as estratégias de venda no momento atual?

Antes de discutirmos as 9 dicas práticas que separamos para o empreendedorismo em tempos de crise, vamos mostrar como o coronavírus vem impactando o comércio virtual.

Descubra milhares de produtos para começar a vender online. Sem compromisso nem cartão de crédito.

Tenha Oberlo agora. É de graça.

Como empreender em tempos de crise: o que mudou?

Embora o comércio físico tenha sido fortemente afetado por conta das medidas de isolamento social, o comércio eletrônico – e, em especial, o dropshipping – também tem sofrido bastante com a pandemia da COVID-19.

Até agora, podemos identificar mudanças em 3 etapas da jornada de compra:

Fabricação e confecção de produtos

Um número significativo de fornecedores das lojas de dropshipping está localizado na China – e, embora o país comece a mostrar sinais de uma lenta recuperação depois de meses de luta contra o coronavírus, muitas fábricas ainda estão fechadas ou funcionando em capacidade reduzida.

Além disso, é importante lembrar que esse cenário não está reduzido apenas ao dropshipping ou à China: milhares de marcas do varejo tradicional também trabalham com parceiros e fornecedores terceirizados, localizados em outros países. Com as medidas de isolamento social implementadas em escala global, é inevitável que a fabricação e a confecção de produtos sejam seriamente afetadas.

Processamento e entrega

Embora a entrega de produtos ainda continue a funcionar via Correios e transportadoras, não podemos esquecer que os prazos de entrega estão sendo flexibilizados – e que o próprio processo de entrega vem sofrendo algumas alterações com o objetivo de reduzir o contato físico entre o entregador e o cliente.

Ainda que extremamente necessárias, essas medidas inevitavelmente acabam afetando a gestão de negócios. As fábricas e transportadoras que estão de portas abertas, por exemplo, estão funcionando com um número reduzido de profissionais em todas as etapas; além disso, contamos atualmente com um número reduzido de voos comerciais e viagens terrestres para importar e exportar mercadorias.

Poder aquisitivo dos consumidores

Com um número elevado de consumidores trabalhando de casa e, consequentemente, passando ainda mais tempo conectados, as lojas virtuais estão numa posição privilegiada: podem tirar proveito das estratégias e campanhas de marketing que já possuem para incentivar novas compras e fidelizar novos clientes.

Por outro lado, não são apenas as lojas e marcas que estão vivendo um momento de crise por conta do coronavírus.

Lembre-se: se você está tendo que empreender em tempos de crise, é bem provável que uma parcela significativa dos seus clientes esteja vivendo com salários reduzidos ou até mesmo sem salário algum durante os meses de isolamento social.

9 dicas práticas para a gestão de negócios durante a COVID-19

A primeira coisa que precisamos lembrar é: você não precisa (e nem deve) abandonar a sua loja e esperar até que a situação volte ao normal. O mesmo vale para quem estava planejando dar os primeiros passos no mundo do e-commerce em 2020 e acabou abrindo a loja na crise.

É claro que a situação atual está longe de ser o cenário ideal para a gestão de e-commerce; contudo, é possível utilizar esse momento para organizar e otimizar o site da loja, os canais de atendimento e a presença da marca nas redes sociais.

Talvez ainda mais importante, é essencial saber manter a calma e a saúde – pois, quando a situação se normalizar, você precisa estar preparado para recuperar o tempo perdido.

A seguir, as nossas 9 dicas para quem quer saber como empreender na crise.

1. Prepare-se psicologicamente e emocionalmente

A primeira dica para empreender em tempos de crise é: prepare-se, psicologicamente e emocionalmente, para o que ainda está por vir. Tente manter a calma para poder tomar as melhores decisões em situações estratégicas e momentos decisivos.

Isso não significa que você não possa se permitir ficar ansioso ou preocupado. A situação, afinal, é grave, real e tem consequências. No entanto, é importante lembrar que é também uma situação temporária, e que sempre é possível buscar soluções para contornar os problemas.

Por isso, quando você se sentir muito ansioso ou muito preocupado, tente respirar fundo e se concentrar em algo positivo. Ligue para os seus amigos ou familiares, assista uma série de TV, aquele filme que você sempre quis ver ou então leia aquele livro que está na estante há séculos. Tente se distrair e se acalmar, e volte ao trabalho apenas quando se sentir preparado.

2. Concentre-se na sua marca

Nós já falamos sobre isso em outros posts do blog, mas não custa lembrar: montar uma loja virtual é fácil. Difícil mesmo é construir uma marca.

A ideia de construir uma marca é mais do que criar perfis nas redes sociais e realizar vendas online; é algo que está intimamente ligado à ideia de uma marca que tem objetivos claros, um público-alvo super definido, uma história para contar e uma proposta de valor totalmente exclusiva.

Esses elementos estão presentes no site da sua marca?

A seguir, algumas leituras recomendadas que podem te ajudar a desenvolver melhor esse aspecto da gestão de negócios:

3. Otimize o serviço de atendimento ao cliente

Se você já tem uma loja virtual bem-estabelecida e/ou uma base de clientes fidelizados, a primeira coisa a fazer é verificar se os pedidos em andamento estão em dia e se o prazo de entrega vai ser cumprido.

Entrou em contato com o fornecedor e descobriu que algumas das compras realizadas ainda nem foram processadas? A melhor coisa a fazer é oferecer um reembolso total do valor para o cliente.

Aliás, agora é o momento de entrar em contato com os seus clientes e informá-los de que a loja está sendo afetada pela pandemia da COVID-19. Seja honesto e não se esqueça de avisar que os prazos de entrega e os tempos de resposta do site podem sofrer alterações.

Além de enviar essa mensagem por e-mail, você pode colocá-la como banner na página inicial do site da loja e como post nas redes sociais da marca; dessa forma, os clientes já iniciam o processo de compra cientes da situação.

Outra coisa que você pode fazer é otimizar os canais de atendimento ao cliente com chatbots, que oferecem respostas automáticas e imediatas às dúvidas mais frequentes. Se quiser saber mais sobre os canais de atendimento, dê uma olhadinha nos posts a seguir:

4. Potencialize a presença da marca nas redes sociais

Atualmente, um dos elementos que não pode faltar na gestão de negócios é uma forte presença nas redes sociais. Além de funcionarem como excelentes canais para a captação de novos clientes e a realização de novas vendas, as redes sociais também são ferramentas essenciais para expandir um e-commerce no Brasil.

Se você ainda tem poucos seguidores, aproveite o momento atual para planejar uma estratégia de expansão nas redes sociais: determine o tipo de identidade visual que você quer construir por lá, os tipos de conteúdo que quer publicar e, claro, o que vai ser publicado em cada plataforma.

Tente evitar uma estratégia homogênea, na qual os posts no Instagram, Facebook e Twitter são absolutamente iguais. Ao invés disso, pode ser mais interessante diversificar e tirar proveito dos recursos de cada plataforma: os Stories do Instagram, os grupos do Facebook, o tamanho breve dos tuítes e por aí vai.

O crescimento orgânico de uma marca nas redes sociais não acontece da noite para o dia, mas é algo que pode gerar bons frutos lá na frente.

Nós temos vários posts que mostram como anunciar e promover uma loja virtual nas redes sociais:

Ainda temos mais algumas dicas práticas para a gestão de negócios durante a crise. Vamos continuar?

5. Organize e edite as imagens de produto do site

Antes de arrancar os cabelos procurando respostas e soluções para como vender em tempos de crise, é essencial avaliar a condição atual das páginas e imagens de produto publicadas no site.

Se você está trabalhando com imagens que não são muito cativantes ou que possuem algum defeito técnico – como pouco brilho, baixa definição ou formatos incompatíveis –, este é o momento de fazer uma boa limpeza.

A primeira etapa é conferir como os seus principais concorrentes apresentam as imagens de produto nos sites e visitar as suas marcas preferidas para verificar como elas anunciam e exibem os itens à venda.

Em seguida, tente padronizar as suas imagens – sejam elas imagens autorais ou preparadas pelo fornecedor. A ideia é buscar um certo padrão visual: todas as imagens com fundo branco, ou então com um fundo colorido que possa complementar o produto de alguma forma.

Se quiser saber mais sobre a edição de imagens, vale a pena conferir os dois posts a seguir:

A nossa próxima dica de gestão de negócios também é uma boa ideia para sair da crise – ou, ao menos, tentar amenizar os danos imediatos.

6. Reestruture as campanhas de e-mail

Se por um lado é inevitável ver uma queda no número de vendas realizadas durante a pandemia do coronavírus, por outro é importante saber aproveitar os canais da loja para ampliar o alcance do seu e-commerce no Brasil.

O e-mail marketing pode parecer uma prática meio desatualizada quando comparada a estratégias mais recentes, mas é impossível negar a sua eficácia. Além de ser uma excelente ferramenta para aumentar a taxa de retenção de clientes, o e-mail é um canal de comunicação importante para lojas – especialmente se utilizado da forma correta.

Uma das maiores vantagens do e-mail marketing é que ele pode servir como estratégia para o envio de mensagens automáticas. Por exemplo: notificações de confirmação de compra, notificações de uma promoção exclusiva – ou, ainda mais importante neste momento de readaptação da gestão de negócios virtuais, mensagens de carrinho abandonado.

Se você já tem uma mensagem padrão para carrinhos abandonados, tente reformular o texto: reescreva o conteúdo da mensagem, inclua descontos ou códigos promocionais de tempo limitado e, se possível, tente fazer com que a mensagem transmita algo da identidade da marca. Aproveite para incluir o logotipo da loja e quaisquer outros conteúdos visuais relevantes.

Se você tem uma loja na Shopify, pode configurar uma mensagem de carrinho abandonado gratuitamente.

Vale lembrar também que o e-mail marketing é uma ferramenta poderosa para a criação e o gerenciamento de newsletters e listas de e-mail, dois canais que costumam contribuir muito para a geração de leads e a fidelização de clientes.

Para saber mais sobre como utilizar o e-mail na sua gestão de negócios, dê uma olhadinha nos posts listados abaixo:

7. Implemente uma nova estratégia de SEO

Se você já trabalha com e-commerce no Brasil há algum tempo, é bem provável que conheça ao menos algumas noções básicas sobre SEO – mas talvez nunca tenha tido tempo para implementar uma estratégia dessas no site da loja.

A grande vantagem de uma boa estratégia de SEO é o fato de que, se implementada corretamente, ela pode trazer clientes para o site da loja sem que você precise gastar um centavo em publicidade paga.

Para otimizar uma página com SEO, a primeira coisa a fazer é buscar palavras-chave relevantes para seu nicho e marca – algo que pode ser feito com a ajuda de ferramentas como o Planejador de palavras-chave do Google.

Atenção: o termo “palavra-chave” pode enganar, pois raramente você vai buscar uma única palavra. Geralmente, as palavras-chave das estratégias de SEO costumam ser termos compostos por duas ou três palavras-chave (e, em alguns casos, você pode até encontrar pequenas frases).

Sempre que você começar a procurar novas palavras-chave, fique de olho sobretudo nos volumes de busca gerados pelos termos, pois eles representam o número de pessoas que buscam a palavra-chave em sites como o Google e o Yahoo todos os meses. Se você acabou de abrir a sua primeira loja, a melhor coisa a fazer é se concentrar em palavras-chave com baixo volume de busca: dessa forma, as chances de ranqueamento do site serão maiores.

Se quiser saber mais sobre como o SEO pode ajudar na gestão de negócios, vale a pena conferir os posts abaixo:

8. Reavalie os gastos e lucros da loja

Se você já tem muitos anúncios publicados via Pixel do Facebook ou Google Ads, deve estar se perguntando: qual a melhor estratégia de marketing em época de crise?

A resposta, na verdade, não é tão complicada: a melhor estratégia é aquela que vai te ajudar a economizar um bom dinheiro durante os próximos meses. Desative os anúncios já programados que estão custando muito dinheiro ou que, de alguma forma, são incompatíveis com o momento que estamos vivendo (não dá para ficar vendendo malas de viagem no meio de uma pandemia, concorda?).

Se possível, tente realocar algumas das suas campanhas para canais gratuitos ou menos custosos, como o Instagram e o e-mail.

Outra medida importante de gestão financeira em tempos de crise é avaliar o fluxo de caixa da loja e buscar soluções para gerar lucro e renda extra. Algumas alternativas interessantes, por exemplo, são:

9. Crie um blog

Ufa: aqui está a nossa última dica de gestão de negócios para quem quer empreender em tempos de crise.

Embora seja extremamente importante otimizar o site virtual da loja e estabelecer uma presença forte nas redes sociais e em canais como o e-mail, a existência de um blog também pode ajudar (e muito) o desenvolvimento de uma marca no mundo do e-commerce.

Além de ser um bom canal de publicidade, o blog também funciona como um complemento ao site da loja – e como uma forma de levar clientes em potencial até a marca, especialmente se você souber implementar uma boa estratégia de SEO nos conteúdos criados.

Idealmente, você pode usar o blog para publicar conteúdos de texto (complementados por imagens e vídeos) compatíveis não só com os produtos que você vende, mas também com os valores que orientam a identidade da marca.

Um exemplo prático: se você tem uma loja de nicho na qual vende tapetes para a prática de yoga, que tal usar o blog para publicar conteúdos relacionados à história da yoga, aos benefícios da prática e assim por diante?

Para obter bons resultados, não se esqueça de estabelecer um calendário de postagens e de vincular conteúdos internos do site aos posts. Se você citar uma reportagem ou um conteúdo de outro site, dê os devidos créditos e vincule as URLs originais.

Lembre-se: a ideia principal do blog não é incentivar uma venda diretamente, mas sim aumentar o valor e a exclusividade da interação entre cliente e marca.

Dica bônus: crie um ambiente de trabalho que te ajude a ser produtivo

Para encerrar, uma dica bônus para quem está enfrentando os desafios da gestão em contextos de crise econômica e crises como a da COVID-19: crie um ambiente de trabalho que te ajude a ser mais produtivo.

Afinal de contas, você provavelmente está trabalhando de casa. Para tentar manter uma rotina mesmo dentro das restrições de isolamento social e ajudar a controlar a ansiedade e as preocupações, preparamos uma pequena lista com 4 sugestões que podem te ajudar a melhorar o dia a dia:

  • Tente fazer alguma atividade física todos os dias, nem que por apenas alguns minutos. Além de liberar endorfinas, os exercícios são extremamente importantes para a mente e para o corpo.
  • Se possível, tente criar um espaço exclusivo para o trabalho. Isso vai ajudar a sua produtividade e pode ser um bom incentivo para manter uma rotina normal (acordar cedo, trocar de roupa e começar a trabalhar).
  • Tente se alimentar corretamente. A parte boa de comer sempre em casa é que você pode criar uma rotina de alimentação saudável – o que pode ajudar a economizar um bom dinheiro.
  • Mantenha o ambiente de trabalho organizado. Nada pior do que ter que trabalhar no meio da bagunça, né?

Nós listamos 7 dicas de produtividade para quem vai trabalhar de casa durante a pandemia do coronavírus e precisa se manter organizado para realizar uma boa gestão de negócios. Vale a pena conferir!

Descubra milhares de produtos para começar a vender online. Sem compromisso nem cartão de crédito.

Tenha Oberlo agora. É de graça.

Quer saber mais?

Nós usamos cookies para proporcionar uma experiência de navegação otimizada. Pedimos que clique no botão Aceitar para que possamos continuar a personalizar os conteúdos exibidos. Para mais informações, consulte a nossa Política de Privacidade.

Recusar