Saiba como a pandemia do COVID-19 vai impactar o dropshipping.

Coronavírus: há alguma ameaça para o dropshipping?

As informações contidas neste artigo não devem ser tomadas como absolutas. Para obter mais dados e notícias sobre o coronavírus, pedimos que entre em contato com as organizações de saúde da sua cidade e estado. Este artigo será atualizado assim que novas informações forem compartilhadas.

Com a disseminação cada vez mais rápida do coronavírus para outros países, o governo chinês começou a adotar medidas para garantir a saúde e a segurança mundiais.

Essas medidas incluem o isolamento da cidade em Wuhan e outros territórios próximos, o fechamento temporário dos meios de transporte público, de fábricas e até mesmo parques de diversão. Outra medida importante foi a restrição de viagens turísticas para o exterior.

Dada a rapidez com a qual a China se posicionou diante da situação, há motivos para acreditar que a situação em breve esteja sob controle – e que os chineses que moram em Wuhan, o epicentro do coronavírus, também fiquem em segurança.

No entanto, a grande maioria das medidas tomadas pelo governo chinês está afetando diretamente as fábricas e empresas que manufaturam produtos para o resto do mundo, e isso inevitavelmente vai causar um atraso nos pedidos vindos da China.

Essa situação inclui, claro, o envio dos produtos para dropshipping.

Se você tem uma loja de dropshipping e trabalha com um fornecedor do AliExpress, é bem provável que a sua loja tenha que lidar com alguns atrasos bem longos durante as próximas semanas.

Descubra milhares de produtos para começar a vender online. Sem compromisso nem cartão de crédito.

Tenha Oberlo agora. É de graça.

Tenho uma loja de dropshipping. O que devo fazer?

Com o fechamento temporário de tantas fábricas e lojas chinesas, recomendamos que você comece a contabilizar um certo tempo de atraso nos prazos de entrega da loja. Para evitar problemas mais sérios, pode ser uma boa ideia suspender parte dos seus anúncios pagos e outras estratégias para gerar mais tráfego.

Também recomendamos que você entre em contato diretamente com o seu fornecedor para verificar qual é a situação específica que ele está enfrentando, mas por ora é praticamente certo que todos os produtos vindos da China sofrerão atrasos significativos.

Outro ponto importante a ser observado é que a China também está se preparando para o ano novo chinês e o retorno escolar – e, ainda que o governo tenha prorrogado essas duas datas importantes por um tempo indeterminado, muitas fábricas e fornecedores já estariam de portas fechadas nessa época do ano. Com a ameaça do coronavírus, é provável que esse intervalo na produção seja ainda maior.

Se você tem alguns pedidos que ainda não foram devidamente concluídos e existe a possibilidade de que eles não sejam enviados nem tão cedo, recomendamos que entre em contato com os seus clientes e comunique claramente a situação. É importante, afinal, que eles também estejam cientes do que está acontecendo

Há previsão para a reabertura das fábricas?

Ainda não há uma previsão clara de reabertura para as fábricas chinesas. Como essa medida foi tomada não apenas em Wuhan mas em diversos outros pontos do país, as estradas e portos de todo o país ainda estão totalmente isolados.

Considerando as medidas tomadas pelo governo chinês para conter o avanço do vírus, é possível que as atividades econômicas do país sejam normalizadas ao longo de fevereiro.

Encomendas vindas da China oferecem algum risco à saúde?

Médicos e especialistas de infectologia já disseram que não há nenhuma evidência de que o coronavírus possa ser transmitido via pacotes e encomendas da China.

Isso acontece porque, embora o vírus tenha um alto potencial de transmissão entre pessoas e pelas vias áreas, ele não consegue sobreviver em superfícies e outros ambientes como caixas e embalagens. Dessa forma, é improvável que ele sobreviva por dias ou mesmo semanas dentro de um pacote internacional.

E os produtos que chegam da Europa?

Não são todos os produtos que vêm da China. Muitos são despachados de vários armazéns da Europa e EUA. Alguns países europeus, como Itália e Espanha implementaram o “lockdown” (bloqueio) temporário, ou seja, muitos espaços de trabalhos estão fechados, incluindo depósitos, e a circulação das pessoas está bem restrita. Outros estados devem adotar o mesmo bloqueio conforme o avanço das semanas e não é claro como a circulação de bens acontecerá após o intervalo inicial de 30 dias.

As mesmas recomendações dadas acima para produtos chineses devem ser aplicados aos europeus.

 

Nós usamos cookies para proporcionar uma experiência de navegação otimizada. Pedimos que clique no botão Aceitar para que possamos continuar a personalizar os conteúdos exibidos. Para mais informações, consulte a nossa Política de Privacidade.

Recusar