Skip to content
Trabalho remoto: uma lista com países que oferecem vistos para nômades digitais em 2021

Trabalho remoto: uma lista com países que oferecem vistos para nômades digitais em 2021

Artigo por Matheus de Souza

Está pensando em morar fora do Brasil e trabalhar remotamente? Então vem conferir algumas dicas exclusivas.

A pandemia da covid-19 acelerou a transformação digital de muitas empresas e mudou a forma como as pessoas trabalham ao redor do mundo. 

A ideia de trabalhar pela internet, que até pouco tempo atrás era vista como um privilégio acessível apenas para alguns sortudos, foi normalizada e se tornou uma das grandes tendências para 2021 tanto que muitas das profissões do futuro já funcionam quase que exclusivamente nos modelos de home office e teletrabalho.

Com um número cada vez maior de pessoas trabalhando online, os nômades digitais, profissionais que viajam o mundo enquanto trabalham de forma remota, entraram no radar de países que perceberam como esses viajantes podem movimentar a economia local. 

Quando lancei meu livro Nômade Digital: um guia para você viver e trabalhar como e onde quiser, em 2019, nenhum país oferecia um visto específico para nômades digitais até porque as leis de entrada na maioria dos países não haviam sido criadas para lidar com essa nova classe de nômades modernos que vivem e trabalham remotamente.

O que acontecia, então, era que geralmente ficávamos num limbo entre o visto de turista e o de negócios.

No entanto, isso está finalmente começando a mudar. Embora a lista ainda seja pequena, alguns países reconheceram a necessidade da criação de vistos específicos para nômades digitais, trabalhadores remotos e/ou freelancers. 

Se você está pensando em trabalhar e morar fora do Brasil, vale conferir neste artigo quais países possuem vistos específicos para nômades digitais e os requisitos desses países para que você possa obter um visto de trabalho remoto.

A vida é curta demais para deixar para amanhã. Que tal começar a trilhar seu próprio caminho em direção ao sucesso?

Criar conta

Nômades digitais: países que oferecem visto de trabalho remoto

Nômades digitais: países que oferecem visto de trabalho remoto

Antígua e Barbuda 🇦🇬

Famosa por suas praias de areias brancas e águas cristalinas, Antígua e Barbuda, um dos destinos turísticos mais premiados do mundo, lançou em 2020 o The Nomad Digital Resident Visa, programa que permite que trabalhadores remotos vivam e trabalhem na ilha por até 2 anos.

A taxa de inscrição é de US$ 1.500 para uma pessoa; US$ 2 mil para casais; e US$ 3 mil para famílias com três ou mais integrantes.

Requisitos:

– Você deve ser empregado ou autônomo e pagar imposto de renda no seu local de residência ou país de origem;

– Rendimentos de pelo menos US$ 50 mil por ano;

– Você deve comprovar que seu empregador está localizado fora de um país do Caribe;

– Comprovante de cobertura de seguro-saúde pelo período de sua estadia.

Barbados 🇧🇧

Morar fora do Brasil como nômade digital: Barbados

O governo de Barbados criou o programa Welcome Stamp para incentivar a vinda de turistas de longa permanência para o país e, consequentemente, a entrada de dólares na economia da ilha. 

O visto de trabalho remoto, cuja duração é de 1 ano, tem uma taxa de inscrição de US$ 2.000 por pessoa, ou US$ 3 mil por família – independentemente do número de membros.

Requisitos:

– Você deve ser empregado ou autônomo e pagar imposto de renda no seu local de residência ou país de origem;

– Rendimentos de pelo menos US$ 50 mil por ano;

– Comprovante de cobertura de seguro-saúde pelo período de sua estadia.

Bermudas 🇧🇲

Para movimentar sua economia, fortemente afetada pela pandemia da covid-19, as ilhas Bermudas, um dos principais destinos turísticos do Caribe, criaram o One (1) Year Residency Certificate, programa que oferece 1 ano de residência para nômades digitais.

A taxa de inscrição é de US$ 263, consideravelmente mais baixa do que os outros vistos que vimos até agora – o que faz de Bermudas um excelente destino para quem quer trabalhar e morar fora do Brasil.

Requisitos:

– Você deve fornecer comprovante de emprego e mostrar meios suficientes ou uma fonte contínua de renda para sustentá-lo durante sua estadia na ilha;

– Comprovante de cobertura de seguro-saúde pelo período de sua estadia;

– Comprovante de que você não tem condenação prévia na justiça (como, por exemplo, uma condenação por delitos punidos por lei).

Costa Rica 🇨🇷

Muitos nômades digitais optam pela Costa Rica por causa das suas praias perfeitas para a prática do surf e sua natureza privilegiada, carregada de cachoeiras, florestas e até vulcões.

Em 2020, o país lançou o Rentista, um visto de trabalho remoto para freelancers que permite que estrangeiros vivam até 2 anos no país. A taxa de inscrição é de US$ 250.

Requisitos:

– Renda mensal de US$ 2.500 ou depósito de US$ 60 mil em um banco da Costa Rica;

– O visto permite que trabalhadores autônomos ou empresários trabalhem na Costa Rica, mas você não pode ser empregado de outra empresa.

Emirados Árabes Unidos 🇦🇪

Dubai, capital dos Emirados Árabes Unidos, lançou recentemente um “programa de trabalho virtual”, o Remote Work Nomad Visa, que permite aos trabalhadores remotos e suas famílias permanecerem na cidade por até um ano enquanto trabalham para empresas sediadas no exterior. A taxa de inscrição é de US$ 287.

Requisitos:

– Você deve comprovar que ganha um mínimo de US$ 5.000 por mês, apresentando comprovante de trabalho, o recibo de vencimento do último mês e três meses de extratos bancários;

– Garantir um seguro-saúde que seja válido também nos Emirados Árabes Unidos.

Estônia 🇪🇪

Trabalhar como nômade digital: Estônia

A Estônia, referência em transformação digital, foi o primeiro país do mundo a criar um visto de trabalho remoto específico para nômades digitais: o Digital Nomad Visa.

Antes disso, o pequeno país europeu havia criado um programa de residência digital chamado e-Residency. Por apenas € 100, o programa oferecia aos empreendedores estrangeiros a possibilidade de abrir uma empresa online e uma conta bancária dentro da União Europeia (além de outros benefícios). Eu fiz o meu em 2018, e o processo foi super simples.

A diferença agora é que, com o novo visto, os profissionais poderão se mudar e viver legalmente no país. O visto “tipo C”, de curta duração (6 meses), custa € 80. Já o visto “tipo D”, de longa duração (1 ano), custa € 100.

Gostou da ideia de morar fora do Brasil e talvez passar um tempo na Estônia? Então anota aí: Talinn, a capital da Estônia, foi eleita em 2020 a melhor cidade do mundo para nômades digitais.

Requisitos:

– Possuir uma empresa remota ou trabalhar para uma empresa sediada fora da Estônia;

– Rendimentos mensais de pelo menos € 3.504 nos últimos 6 meses.

Geórgia 🇬🇪

Em parte devido à queda dramática no turismo por causa da pandemia da covid-19, a Geórgia, antiga república da União Soviética, lançou um visto específico para nômades digitais como uma estratégia para ajudar a estimular a economia local. O visto em questão é o Remotely from Georgia.

Morei 1 mês na Geórgia em 2019, antes do lançamento do visto e posso afirmar que, além do baixo custo de vida, o país surpreende com suas cidades coloridas e paisagens montanhosas. Recomendo!

Requisitos:

– Possuir uma empresa remota ou trabalhar para uma empresa sediada fora da Geórgia;

– Rendimentos mensais de pelo menos US$ 2.000;

– Seguro de viagem válido por 6 meses.

Ilhas Cayman 🇰🇾

As Ilhas Cayman, paraíso fiscal de muitos ricaços por aí, lançaram em 2020 o programa Global Citizen Concierge: um visto especial com duração de até 2 anos para quem quer morar e trabalhar por lá.

A taxa de inscrição é de US$ 1.469 por pessoa, mais US$ 500 por dependente.

Requisitos:

– Você deve provar que trabalha fora das Ilhas Caymanm, que compõem um território britânico ultramarino;

– Renda anual de pelo menos US$ 100 mil (casais devem ganhar um mínimo combinado de US$ 150 mil e as famílias com um ou mais filhos devem ganhar pelo menos US$ 180 mil por ano);

– Uma referência bancária com firma reconhecida e 6 meses de extratos bancários;

– Registro criminal federal ou documento semelhante;

– Comprovante de cobertura de seguro-saúde pelo período de sua estadia.

Ilhas Maurício 🇲🇺

Maurício, uma das mais belas ilhas do mundo, lançou em 2020 o Premium Travel Visa, programa que busca atrair trabalhadores remotos estrangeiros. 

O visto de trabalho remoto é emitido de forma gratuita, e garante a permanência na ilha por até 1 ano.

Requisitos:

– Comprovar que é um profissional autônomo ou que trabalha para uma empresa fora das Ilhas Maurício;

– Comprovante de acomodação para a duração da sua estadia;

– Comprovante de cobertura de seguro saúde pelo período de sua estadia.

Islândia 🇮🇸

Islândia: um dos países que oferecem visto de trabalho remoto

A Islândia abriu suas fronteiras para trabalhadores remotos no final de 2020, com o programa Work in Iceland: uma iniciativa que permite que profissionais estrangeiros vivam e trabalhem no país por até 6 meses.

A taxa de processamento do pedido de visto custa US$ 60 e há uma taxa adicional de US$ 43 para o processamento do passaporte.

Requisitos:

– Renda anual de pelo menos US$ 88 mil;

– Comprovar que não trabalha para uma empresa islandesa; 

– Comprovante de cobertura de seguro-saúde pelo período de sua estadia.

Países com vistos alternativos de longa duração

Vistos de trabalho remoto para nômades digitais ainda são uma novidade; porém, alguns países oferecem outros tipos de autorização de estadia para viajantes de longa duração. 

Se você é um profissional autônomo e/ou trabalhador remoto que quer morar fora do Brasil, vale a pena conferir algumas outras opções disponíveis:

Alemanha 🇩🇪

A Alemanha oferece um visto especial para freelancers, o Freiberufler, que é perfeito para nômades digitais – e pode ser prorrogado por até 3 anos. Uma outra variação do visto de freelancer alemão é o visto de artista, aplicável somente em Berlim, voltado para escritores, músicos, pintores e outros artistas.

Espanha 🇪🇸

Ainda que não tenha um visto específico para nômades digitais, trabalhadores remotos brasileiros podem solicitar um Visto de Trabalho Autônomo na Espanha. Esta autorização especial permite que você more e trabalhe no país pelo prazo de até um ano.

México 🇲🇽

México: país para trabalhar como nômade digital

Brasileiros podem permanecer no México por até 6 meses sem a necessidade de visto, porém, uma alternativa para quem pretende ficar no país por mais tempo é o visto de residente temporário. Ideal para quem trabalha de forma remota, esse visto especial permite que os profissionais estrangeiros morem no México por um ano – e pode ser prorrogado por até mais três anos.

Portugal 🇵🇹

Portugal conta com um programa especial para empreendedores, o Visto D2, que oferece residência temporária para trabalhadores independentes. Se você estiver no Brasil, pode dar entrada no processo em um Centro de Solicitação de Visto. Se já estiver em Portugal, visite o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras) para mais informações.

Além disso, o país deu indícios de que deve lançar em breve um visto específico para nômades digitais com a criação do Digital Nomads Madeira, uma espécie de “vila para nômades digitais”, fruto de uma parceria entre a Startup Madeira e o governo regional.

Para ficar ligado: mais países devem lançar vistos para nômades digitais em 2021

Para ficar ligado: mais países devem lançar vistos para nômades digitais em 2021

Se 2020 marcou a criação dos primeiros vistos específicos para nômades digitais, 2021 deve marcar a consolidação deste movimento que une trabalho remoto e viagens.

Países como Argentina, Croácia, Grécia e Tailândia já anunciaram que devem lançar novas modalidades de vistos, e a tendência é que a lista de países aumente à medida que mais países comecem a perceber o potencial econômico de receber trabalhadores remotos estrangeiros.

Morar fora do Brasil e viver trabalhando com aquilo que você gosta (onde quer que você esteja) está se tornando um sonho cada vez mais possível de ser realizado. E aí: para onde você quer ir agora?

Quer saber mais?